Funcionamento da Reforma Ortográfica do Português

  • Identifique-se para criar novos tópicos neste fórum
  • Visitantes anônimos não podem postar neste fórum
 
Mikhail Miguel  Membro De: Angra dos Reis, RJ, Brasil  Postagens: 2466

Como funciona a reforma ortográfica do português?



Créditos: Luís Indriunas

Em 1990, representantes dos oito países que falam português (Portugal, Brasil, Ang Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Timor Leste) decidiram simplificar a grafia e unificar as regras. A implementação, no entanto, é lenta. É preciso que os países ratifiquem as mudanças como fez o Congresso Nacional Brasileiro. Em 2007, o Ministério da Educação do Brasil começou a preparar as mudanças nos livros didáticos e pretende que elas estejam totalmente implantadas em 2009. As maiores resistências à reforma vieram de Portugal, justamente o país que deve ter mudanças mais significativas. Os portugueses só ratificaram o acordo em maior de 2008.


 


As tentativas de unificação ortográfica dos países lusófonos são antigas, datando do início do século 20. No Brasil, já houve duas reformas ortográficas em 1943 e 1971, ou seja, um Brasileiro com mais de 65 anos vai passar por três reformas. Em Portugal, a última reforma aconteceu em 1945. E muitas diferenças entre Brasil e Portugal continuaram.


Há muita gente que rechaça a unificação, dizendo que há coisas mais importantes a fazer. Quem defende argumenta que o português é, das línguas mais faladas no mundo, a única que ainda não está unificada.

Veja quais as principais mudanças na ortografia. A maioria terá impacto no Brasil:

Fim do trema

O acento é totalmente eliminado. Assim, a palavra frequente passa a ser escrita frequente.


Eliminação de acentos em ditongos


Acaba-se o acento nos ditongos “ei” paroxítonas. Assim, ideia vira ideia.

O acento circunflexo quando dois “os” ficam juntos também some. Assim, voo vira voo.

Cai o acento diferencial

Aquele acento que diferenciava palavras homônimas de significados diferentes acaba. Assim, pára do verbo parar vai ficar apenas para.

Mudanças nos hifens

Sai a maioria dos hifens em palavras compostas. Assim pára-quedas vira paraquedas.

Quanto houver necessidade, será dobrada a consoante. Assim contra-regra vira contrarregra.

Será mantido o hífen em palavras compostas cuja segunda palavra começa com h como pré-história.

Em substantivos compostos cuja última letra da primeira palavra e a primeira letra da palavra são a mesma, será feita a introdução do hífen. Assim microondas vira micro-ondas.

Inclusão de letras

As letras antes suprimidas do alfabeto português (k, y e w) voltam, mas só valem para manter as grafias de palavras estrangeiras;

Fim das letras mudas

Em Portugal, é comum a grafia de letras que não são pronunciadas como facto para falar fato. Essas letras somem com a reforma.

Dupla acentuação

Há algumas diferenças de acentuação entre o Brasil e Portugal principalmente quando se fala do acento circunflexo e agudo. Assim, os Brasileiros escrevem econômico e os portugueses, económico. Essa diferença foi mantida.



Artigos relacionados




Mais links interessantes



Conheça alguns dos jornais dos países lusófonos para perceber as diferenças do português usado em cada um deles


  Pesquisa avançada






Entrada

Codinome:


Senha:





Perdeu a senha?  |Cadastre-se!


Quem nos visita
Há 10 visitantes neste momento... (3 na seção Fóruns)

Associados: 0
Anônimos: 10

outros...

Banner XOOPS Cube