XOOPS Brasil

 

Capítulo 1. Informações Gerais

Índice

1.1. Sobre Este Manual
1.1.1. Convenções Usadas Neste Manual
1.2. Visão Geral do Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados MySQL
1.2.1. História do MySQL
1.2.2. As Principais Características do MySQL
1.2.3. Estabilidade do MySQL
1.2.4. Qual o Tamanho Que as Tabelas do MySQL Podem Ter?
1.2.5. Compatibilidade Com o Ano 2000 (Y2K)
1.3. Visão Geral da MySQL AB
1.3.1. O Modelo de Negócio e Serviços da MySQL AB
1.3.2. Informações para Contato
1.4. Suporte e Licenciamento do MySQL
1.4.1. Suporte Oferecido pela MySQL AB
1.4.2. Copyrights e Licenças Usadas pelo MySQL
1.4.3. Licenças do MySQL
1.4.4. Logomarcas e Marcas Registradas da MySQL AB
1.5. Mapa de Desenvolvimento do MySQL
1.5.1. MySQL 4.0 in a Nutshell
1.5.2. MySQL 4.1 in a Nutshell
1.5.3. MySQL 5.0, A Próxima Distribuição de Desenvolvimento
1.6. MySQL e o Futuro (o TODO)
1.6.1. Novos Recursos Planejados Para a Versão 4.1
1.6.2. Novos Recursos Planejados Para a Versão 5.0
1.6.3. Novos Recursos Planejados Para a Versão 5.1
1.6.4. Novos Recursos Planejados Para a Versão em um Futuro Próximo
1.6.5. Novos Recursos Planejados Para a Versão em um Futuro a Médio Prazo
1.6.6. Novos Recursos que Não Planejamos Fazer
1.7. Fontes de Informações do MySQL
1.7.1. Listas de Discussão MySQL
1.7.2. Suporte a Comunidade MySQL Atrvés do IRC (Internet Relay Chat)
1.8. Qual compatibilidade aos padrões o MySQL oferece ?
1.8.1. Qual Padrão o MySQL Segue?
1.8.2. Executando o MySQL no modo ANSI
1.8.3. Extensões do MySQL para o Padrão SQL-92
1.8.4. Diferenças do MySQL em Comparação com o SQL-92
1.8.5. Como o MySQL Lida com Restrições
1.8.6. Erros Conhecidos e Deficiências de Projetos no MySQL

O programa MySQL (R) é um servidor robusto de bancos de dados SQL (Structured Query Language - Linguagem Estruturada para Pesquisas) muito rápido, multi-tarefa e multi-utilizador. O Servidor MySQL pode ser usado em sistemas de produção com alta carga e missão crítica bem como pode ser embutido em programa de uso em massa. MySQL é uma marca registrada da MySQL AB.

O programa MySQL é de Licença Dupla. Os utilizadores podem escolher entre usar o programa MySQL como um produto Open Source/Free Software sob os termos da GNU General Public License (http://www.fsf.org/licenses/) ou podem comprar uma licença comercial padrão da MySQL AB. Veja mais informações sobre isto na Seção 1.4, “Suporte e Licenciamento do MySQL”.

O site web do MySQL (MySQL) dispõe das últimas informações sobre o programa MySQL.

A seguinte lista descreve algumas seções de particular interesse neste manual:

Importante:

Relatórios de erros (também chamados bugs), bem como dúvidas e comentários, devem ser enviados para a lista de email geral do MySQL. Veja mais informações sobre isto na Seção 1.7.1.1, “As Listas de Discussão do MySQL”. Veja mais informações sobre isto na Seção 1.7.1.3, “Como relatar erros ou problemas”.

O script mysqlbug deve ser usado para gerar comunicados de erros no Unix. (A distribuição do Windows contém um arquivo mysqlbug.txt no diretório base que pode ser usado como um template para um relatório de erro.

Em distribuições fonte, o script mysqlbug pode ser encontrado no diretório scripts. Para distribuições binárias, o mysqlbug pode ser encontrado no diretório bin (/usr/bin para o pacote RMP do servidor MySQL.

Se você encontrou um erro de segurança no Servidor MySQL, você deve enviar um email para .

1.1. Sobre Este Manual

Este é o manual de referência MySQL; ele documenta o MySQL até a versão 5.0.6-beta. Mudanças funcionais são sempre indicadas com referência a versão, assim este manual também pode ser utilizado caso você esteja utilizando uma versão mais antiga do MySQL (como 3.23 ou 4.0-produção). Também a referências a versão 5.0 (desenvolvimento).

Sendo um manual de referência, ele não fornece instruções gerais sobre SQL ou conceitos de banco de dados relacionais.

Como o Programa da Banco de Dados MySQL está sob constante desenvolvimento, o manual também é atualizado freqüentemente. A versão mais recente deste manual está disponível em http://www.mysql.com/documentation/ em diferentes formatos, incluindo HTML, PDF, e versões HLP do Windows.

O documento original é uma arquivo Texinfo. A versão HTML é produzida automaticamente usando uma versão modificada do texi2html. A versão texto e Info são produzidas com makeinfo. A versão PostScript é produzida usando texi2dvi e dvips. A versão PDF é produzida com pdftex.

Se você tiver dificuldades de encontrar informações no manual, você pode tentar nossa versão com busca em http://www.mysql.com/doc/.

Se você tiver qualquer sugestão a respeito de adições e correções neste manual, por favor envie-os para a equipe de documentação em .

Este manual foi inicialmente escrito por David Axmark e Michael (Monty) Widenius. Atualmente é mantido pela Equipe de Documentação da MySQL, que conta com Arjen Lentz, Paul DuBois e Stefan Hinz. Para outros colaboradores, veja Apêndice C, Colaboradores do MySQL.

A traduçao deste manual foi feita por Daniel Coelho Teobaldo e Carlos Henrique Paulino sob a supervisão da EAC Software.

Os direitos autorais (2003-2006) deste manual pertence a compania Sueca MySQL AB. Veja mais informações sobre isto na Seção 1.4.2, “Copyrights e Licenças Usadas pelo MySQL”.

1.1.1. Convenções Usadas Neste Manual

Este manual utiliza algumas convenções tipográficas:

  • constant

    Fonte de largura fixa é usada para nomes de comandos e opções; instruções SQL; nomes de bancos de dados, tabelas e colunas; código C e Perl; e variáveis de ambiente. Exemplo: ``Para ver como o mysqladmin funciona, execute-o com a opção --help.''

  • filename

    Fonte de largura fixa com aspas é usada para nomes e caminhos de arquivos. Exemplo: ``A distribuição é instalada sobre o diretório /usr/local.''

  • c

    Fonte de largura constante com aspas é também usada para indicar sequências de caracteres. Exemplo: ``Para especificar um meta caracter, use o caractere ‘%’.''

  • italic

    Fonte Itálica é usada para dar ênfase, como aqui.

  • boldface

    Fonte em negrito é usada em cabeçalhos de tabela e indicar ênfase especial.

Quando um comando deve ser executado por um programa, ele é indicado por um prompt antes do comando. Por exemplo, shell> indica um comando que é executado do seu shell atual e mysql> indica um comando que é executado no programa cliente mysql;

shell> digite um comando shell aqui
mysql> digite um comando mysql aqui

A ``shell'' é seu interpretador de comando. No Unix, ele é normalmente um programa como sh ou csh. No Windows, o equivalente é o command.com ou cmd.exe, normalmente executado como um console do Windows.

Comandos Shell são mostrados usando a sintaxe do Shell Bourne. Se você usa um shell do estilo csh, pode ser necessário alterar algum de seus comandos. Por exemplo, a sequência para configurar uma variável de ambiente e executar um comando se parece com o listado abaixo na sintaxe Bourne Shell:

shell> NOMEVAR=valor algum_comando

Para csh ou tcsh, execute a sequência desta forma:

shell> setenv NOMEVAR valor
shell> algum_comando

Frequentemente, nomes de bancos de dados, tabelas e colunas devem ser substituídos nos comandos. Para indicar que as substituições são necessárias, este manual usa nome_db, nome_tbl e nome_col. Por exemplo, você pode encontrar uma expressão assim:

mysql> SELECT nome_col FROM nome_bd.nome_tbl;

Isso significa que se você estiver trabalhando numa expressão similar, forneceria seu próprio nome de banco de dados, tabela e colunas, talvez assim:

mysql> SELECT nome_autor FROM biblio_bd.lista_autor;

SQL keywords não caso sensitivas e podem ser escritas em maiúscula ou minúscula. Este manual utiliza letras maiúsculas.

Em descrições de sintaxe, colchetes (‘[’ e ‘]’) são usados para indicar palavras ou cláusulas opcionais. Por exemplo, na seguinte instrução, IF EXISTS é opcional:

DROP TABLE [IF EXISTS] nome_tbl

Quando elementos da sintaxe possuem mais de uma alternativa, elas são separados por barras verticais (‘|’). Quando um menbro de um conjunto de opções pode ser escolhido, as alternativas são listadas em colchetes (‘[’ e ‘]’):

TRIM([[BOTH | LEADING | TRAILING] [remstr] FROM] str)

Quando um membro de um conjunto de opções deve ser selecionado, as alternativas são listadas dentro de chaves (‘{’ e ‘}’):

{DESCRIBE | DESC} nome_tbl {nome_col | metacar}