XOOPS Brasil

 


[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ 13 ] [ 14 ] [ 15 ] [ 16 ] [ 17 ] [ 18 ] [ 19 ] [ 20 ] [ 21 ] [ 22 ] [ 23 ] [ 24 ] [ 25 ] [ 26 ] [ 27 ] [ 28 ] [ 29 ] [ 30 ] [ 31 ] [ 32 ] [ próximo ]


Guia Foca GNU/Linux
Capítulo 28 - Conectando seu computador a Internet


Este capítulo descreve como configurar seu sistema para se conectar a Internet, navegar, enviar/receber mensagens, etc.


28.1 Conectando-se a Internet


28.1.1 Conectando através de ADSL

A conexão através de banda larga em sistemas Debian é realizada através do programa pppoeconf ou modificando manualmente os arquivos de configuração em /etc/ppp. Esta seção explicará como configurar a conexão em modo bridge e assume que você já tem o modem conectado e sua placa de rede configurada. Para criar uma conexão internet através do pppoeconf entre como utilizador root no sistema, digite pppoeconf e siga os passos de configuração:

  1. Na primeira tela, ele perguntará se deseja que o modem seja detectado automaticamente. Selecione sim. O sistema procurará e detectará o modem no sistema (assegure-se que ele esteja ligado durante essa etapa).

  1. Ao detectar o modem siga adiante e informe o nome de utilizador para conexão

  1. Em seguida informe a senha usada para autenticação

  1. Nas próximas telas, selecione o valor padrão para MTU e MSS (a não ser que seu provedor DSL solicite a alteração).

  1. Na tela sobre se a conexão deve ser iniciada na inicialização do sistema, selecione "Sim".


28.1.2 Conectando através de Internet Discada

Para conectar usando internet discada é utilizada a placa de Fax-Modem. A conexão através de sistemas Debian é fácil, e todo o trabalho de configuração pode ser feito através do programa pppconfig ou modificando manualmente os arquivos em /etc/ppp. Para criar uma conexão internet através do pppconfig, entre como utilizador root no sistema, digite pppconfig e siga os passos de configuração (esta configuração serve para utilizadores domésticos e assume que você possui o kernel com suporte a PPP):

  1. No primeiro menu, escolha a opção Create para criar uma nova conexão. As outras opções disponíveis são Change para modificar uma conexão a Internet criada anteriormente, Delete para apagar uma conexão. A opção Quit sai do programa.

  1. Agora o sistema perguntará qual será o nome da conexão que será criada. O nome provider é o padrão, e será usado caso digite pon para iniciar uma conexão internet sem nenhum argumento.

  1. O próximo passo é especificar como os servidores de nomes serão acessados. Escolha Static se não tiver nenhum tipo de rede local ou None para usar os servidores especificados no arquivo /etc/resolv.conf.

    Aperte a tecla TAB e tecle ENTER para seguir para o próximo passo.

  1. Agora digite o endereço do servidor DNS especificado pelo seu provedor de acesso. Um servidor DNS converte os nomes como www.blablabla.com.br para o endereço IP correspondente para que seu computador possa fazer conexão.

    Tecle ENTER para seguir para o próximo passo.

  1. Você pode digitar um endereço de um segundo computador que será usado na resolução de nomes DNS. Siga as instruções anteriores caso tiver um segundo servidor de nomes ou ENTER para continuar.

  1. Agora você precisará especificar qual é o método de autenticação usado pelo seu provedor de acesso. O Password Autentication Protocol é usado pela maioria dos provedores de acesso. Desta forma escolha a opção PAP

  1. Agora entre com o seu login no provedor de acesso, ou seja, o nome para acesso ao sistema que escolheu no momento que fez sua assinatura.

  1. Agora especifique a sua senha.

  1. O próximo passo será especificar a taxa de transmissão da porta serial do micro. O valor de 115200 deve funcionar com todas as configurações mais recentes.

    Uma configuração serial DTE detalhada pode ser feita com a ferramenta setserial.

  1. Agora será necessário selecionar o modo de discagem usado pelo seu fax-modem. Escolha tone para linha digital e pulse se possuir uma linha telefônica analógica.

    Pressione TAB e tecle ENTER para prosseguir.

  1. Agora digite o número do telefone para fazer conexão com o seu provedor de acesso.

  1. O próximo passo será a identificação do seu fax-modem, escolha YES para que seja utilizada a auto-detecção ou NO para especificar a localização do seu fax-modem manualmente.

  1. Se você quiser especificar mais detalhes sobre sua configuração, como strings de discagem, tempo de desconexão, auto-discagem, etc., faça isto através do menu Advanced.

    Escolha a opção Finished para salvar a sua configuração e retornar ao menu principal. Escolha a opção Quit para sair do programa.

Pronto! todos os passos para você se conectar a Internet estão concluídos, basta digitar pon para se conectar e poff para se desconectar da Internet. Caso tenha criado uma conexão com o nome diferente de provider você terá que especifica-la no comando pon (por exemplo, pon provedor2).

A conexão pode ser monitorada através do comando plog e os pacotes enviados/recebidos através do pppconfig.

Para uma navegação mais segura, é recomendável que leia e compreenda alguns ítens que podem aumentar consideravelmente a segurança do seu sistema em Segurança da Rede e controle de Acesso, Seção 15.8, /etc/hosts.allow, Seção 15.8.3.1, /etc/hosts.deny, Seção 15.8.3.2. A seção /etc/resolv.conf, Seção 15.6.2.1 pode ser também útil.


28.2 Navegando na Internet

Existem diversos tipos de navegadores web para GNU/Linux e a escolha depende dos recursos que pretende utilizar (e do poder de processamento de seu computador).

Para navegar na Internet com muitos recursos, você pode usar o navegador Firefox, ele suporta plug-ins, extensões adicionais, java, flash, etc. Você também tem a escolha do Mozilla que inspirou a criação do Netscape e outros navegadores derivados.

O dillo é uma boa alternativa para aqueles que desejam um navegador em modo gráfico, mas eles não tem suporte a Java e Frames.

Os utilizadores e administradores de servidores que operam em modo texto e precisam de navegadores para testes, podem optar pelo Lynx ou o links. Uma listagem mais detalhada e recursos requeridos por cada navegador podem ser encontrados em Internet, Seção 30.1.3.


28.3 Recebimento de E-Mails através do fetchmail

É o programa mais tradicional no recebimento de mensagens através dos serviços pop3, imap, pop2, etc. no GNU/Linux. Ele pega as mensagens de seu servidor pop3 e as entrega ao MDA local ou nos arquivos de e-mails dos utilizadores do sistema em /var/mail

Todo o funcionamento do fetchmail é controlado pelo arquivo ~/.fetchmailrc. Segue abaixo um modelo padrão deste arquivo:

poll pop3.seuprovedor.com.br protocol pop3
user gleydson password sua_senha keep fetchall is gleydson here

Este arquivo é lido pelo fetchmail na ordem que foi escrito. Veja a explicação abaixo sobre o arquivo exemplo:

  • A palavra poll especifica o servidor de onde suas mensagens serão baixadas, o servidor especificado no exemplo é pop3.seuprovedor.com.bt. A palavra skip pode ser especificada, mas as mensagens no servidor especificado por skip somente serão baixadas caso o nome do servidor de mensagens for especificado através da linha de comando do fetchmail.

  • protocol é o protocolo que será usado para a transferência de mensagens do servidor. O fetchmail utilizará a auto-detecção de protocolo caso este não seja especificado.

  • user define o nome do utilizador no servidor pop3.seuprovedor.com.br, que no exemplo acima é gleydson.

  • password define a senha do utilizador gleydson (acima), especificada como sua_senha no exemplo.

  • keep é opcional e serve para não apagar as mensagens do servidor após baixa-las (útil para testes e acesso a uma única conta de e-mail através de vários locais, como na empresa e sua casa por exemplo).

  • fetchall baixa todas as mensagens do provedor marcadas como lidas e não lidas.

  • is gleydson here é um modo de especificar que as mensagens obtidas de pop3.seuprovedor.com.br do utilizador gleydson com a senha sua_senha serão entregues para o utilizador local gleydson no diretório /var/mail/gleydson.

    As palavras is e here são completamente ignoradas pelo fetchmail, servem somente para dar um tom de linguagem natural na configuração do programa e da mesma forma facilitar a compreensão da configuração.

Se possuir várias contas no servidor pop3.seuprovedor.com.br, não é necessário repetir toda a configuração para cada conta, ao invés disso especifique somente os outros utilizadores do mesmo servidor:

poll pop3.seuprovedor.com.br protocol pop3
user gleydson password sua_senha keep fetchall is gleydson here
user conta2 password sua_senha2 fetchall is gleydson here
user conta3 password sua_senha3 fetchall is gleydson here

Note que todos os e-mails das contas gleydson, conta2 e conta3 do servidor de mensagens pop3.seuprovedor.com.br são entregues ao utilizador local gleydson (arquivo /var/mail/gleydson).

Agora você pode usar um programa MUA como o mutt ou pine para ler localmente as mensagens. O armazenamento de mensagens no diretório /var/mail é preferido pois permite a utilização de programas de notificação de novos e-mais como o comsat, mailleds, biff, etc.

Também é possível utilizar um processador de mensagens ao invés do MTA para a entrega de mensagens. O programa procmail é um exemplo de processador de mensagens rápido e funcional que pode separar as mensagens em arquivos de acordo com sua origem, destino, assunto, enviar respostas automáticas, listas de discussão, envio de arquivos através de requisição, etc. Veja Processamento de mensagens através do procmail, Seção 28.3.1 para detalhes.

Para mais detalhes sobre outras opções específicas de outros protocolos, checagem de mensagens, criptografia, etc, veja a página de manual do fetchmail.


28.3.1 Processamento de mensagens através do procmail

O processamento de mensagens pode ser usado para inúmeras finalidades, dentre elas a mais comum é separar uma mensagem em arquivos/diretórios de acordo com sua origem, prioridade, assuntos, destinatário, conteúdo, etc., programar auto-respostas, programa de férias, servidor de arquivos, listas de discussão, etc.

O procmail é um programa que reúne estas funções e permitem muito mais, dependendo da habilidades e conhecimento das ferramentas GNU/Linux para saber integra-las corretamente. Toda a operação do procmail é controlada pelo arquivo /etc/procmailrc e ~/.procmailrc. Abaixo um modelo do arquivo ~/.procmailrc usado para enviar todas as mensagens contendo a palavra GNU/Linux no assunto para o arquivo mensagens-linux:

PATH=/usr/bin:/bin:/usr/local/bin:
MAILDIR=$HOME/Mail
DEFAULT=$MAILDIR/mbox
LOGFILE=$MAILDIR/log
:0:
* ^Subject:.*Linux
mensagens-linux

A variável de ambiente MAILDIR especifica o diretório que serão armazenadas as mensagens e logs das operações do procmail. A variável DEFAULT especifica a caixa de correio padrão onde todas as mensagens que não se encaixam nas descrições do filtro do procmailrc serão enviadas. A variável LOGFILE especifica o arquivo que registrará todas as operações realizadas durante o processamento de mensagens do procmail.

O arquivo mensagens-linux é criado dentro do diretório especificado por MAILDIR.

Para que o procmail entre em ação toda vez que as mensagens forem baixadas via fetchmail, é preciso modificar o arquivo .fechmailrc e incluir a linha mda /usr/bin/procmail -d %T no final do arquivo e retirar as linhas is [utilizadorlocal] here para que o processamento das mensagens seja feita pelo MDA local (neste caso, o procmail).

Se quiser que o procmail seja executado pelo MDA local, basta criar um arquivo ~/.forward no diretório do utilizador e incluir a linha exec /usr/bin/procmail (note que em algumas implementações do exim, o procmail é executado automaticamente caso um arquivo ~/.procmailrc seja encontrado, caso contrário será necessário adicionar a linha "/usr/bin/procmail" ao arquivo ~/.forward (somente exim).

Para mais detalhes, veja a página de manual do procmail, procmailrc e HOWTOs relacionados com e-mails no GNU/Linux.


[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ 13 ] [ 14 ] [ 15 ] [ 16 ] [ 17 ] [ 18 ] [ 19 ] [ 20 ] [ 21 ] [ 22 ] [ 23 ] [ 24 ] [ 25 ] [ 26 ] [ 27 ] [ 28 ] [ 29 ] [ 30 ] [ 31 ] [ 32 ] [ próximo ]


Guia Foca GNU/Linux

Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007

Gleydson Mazioli da Silva gleydson@guiafoca.org