XOOPS Brasil

 


[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ 13 ] [ 14 ] [ 15 ] [ 16 ] [ 17 ] [ 18 ] [ 19 ] [ 20 ] [ 21 ] [ 22 ] [ 23 ] [ 24 ] [ 25 ] [ 26 ] [ 27 ] [ 28 ] [ 29 ] [ 30 ] [ 31 ] [ 32 ] [ próximo ]


Guia Foca GNU/Linux
Capítulo 10 - Comandos Diversos


Comandos de uso diversos no sistema.


10.1 clear

Limpa a tela e posiciona o cursor no canto superior esquerdo do vídeo.

clear


10.2 date

Permite ver/modificar a Data e Hora do Sistema. Você precisa estar como utilizador root para modificar a data e hora. Muitos programas do sistema, arquivos de registro (log) e tarefas agendadas funcionam com base na data e hora fornecidas pelo sistema, assim esteja consciente das modificações que a data/hora pode trazer a estes programas (principalmente em se tratando de uma rede com muitos utilizadores) .

date MesDiaHoraMinuto[AnoSegundos]

Onde:

MesDiaHoraMinuto[AnoSegundos]

São respectivamente os números do mês, dia, hora e minutos sem espaços. Opcionalmente você pode especificar o Ano (com 2 ou 4 dígitos) e os Segundos.

+[FORMATO]

Define o formato da listagem que será usada pelo comando date. Os seguintes formatos são os mais usados:

  • %d - Dia do Mês (00-31).

  • %m - Mês do Ano (00-12).

  • %y - Ano (dois dígitos).

  • %Y - Ano (quatro dígitos).

  • %H - Hora (00-24).

  • %I - Hora (00-12).

  • %M - Minuto (00-59).

  • %j - Dia do ano (1-366).

  • %p - AM/PM (útil se utilizado com %d).

  • %r - Formato de 12 horas completo (hh:mm:ss AM/PM).

  • %T - Formato de 24 horas completo (hh:mm:ss).

  • %w - Dia da semana (0-6).

Outros formatos podem ser obtidos através da página de manual do date.

Para maiores detalhes, veja a página de manual do comando date.

Para ver a data atual digite: date

Se quiser mudar a Data para 25/12 e a hora para 08:15 digite: date 12250815

Para mostrar somente a data no formato dia/mês/ano: date +%d/%m/%Y


10.3 df

Mostra o espaço livre/ocupado de cada partição.

df [opções]

onde:

opções
-a

Inclui sistemas de arquivos com 0 blocos.

-h, --human-readable

Mostra o espaço livre/ocupado em MB, KB, GB ao invés de blocos.

-H

Idêntico a -h mas usa 1000 ao invés de 1024 como unidade de cálculo.

-k

Lista em Kbytes.

-l

Somente lista sistema de arquivos locais.

-m

Lista em Mbytes (equivalente a --block-size=1048576).

--sync

Executa o sync antes de mostrar os dados.

-T

Lista o tipo de sistema de arquivos de cada partição

-t tipo

Lista somente sistema de arquivos do tipo tipo.

-x tipo

Não lista sistemas de arquivos do tipo tipo.

Exemplos: df, df -h, df -t vfat.


10.4 ln

Cria links para arquivos e diretórios no sistema. O link é um mecanismo que faz referência a outro arquivo ou diretório em outra localização. O link em sistemas GNU/Linux faz referência reais ao arquivo/diretório podendo ser feita cópia do link (será copiado o arquivo alvo), entrar no diretório (caso o link faça referência a um diretório), etc.

ln [opções] [origem] [link]

Onde:

origem

Diretório ou arquivo de onde será feito o link.

link

Nome do link que será criado.

opções
-s

Cria um link simbólico. Usado para criar ligações com o arquivo/diretório de destino.

-v

Mostra o nome de cada arquivo antes de fazer o link.

-d

Cria um hard link para diretórios. Somente o root pode usar esta opção.

Existem 2 tipos de links: simbólicos e hardlinks.

  • O link simbólico cria um arquivo especial no disco (do tipo link) que tem como conteúdo o caminho para chegar até o arquivo alvo (isto pode ser verificado pelo tamanho do arquivo do link). Use a opção -s para criar links simbólicos.

  • O hardlink faz referência ao mesmo inodo do arquivo original, desta forma ele será perfeitamente idêntico, inclusive nas permissões de acesso, ao arquivo original.

    Ao contrário dos links simbólicos, não é possível fazer um hardlink para um diretório ou fazer referência a arquivos que estejam em partições diferentes.

Observações:

  • Se for usado o comando rm com um link, somente o link será removido.

  • Se for usado o comando cp com um link, o arquivo original será copiado ao invés do link.

  • Se for usado o comando mv com um link, a modificação será feita no link.

  • Se for usado um comando de visualização (como o cat), o arquivo original será visualizado.

Exemplos:

  • ln -s /dev/ttyS1 /dev/modem - Cria o link /dev/modem para o arquivo /dev/ttyS1.

  • ln -s /tmp ~/tmp - Cria um link ~/tmp para o diretório /tmp.


10.5 du

Mostra o espaço ocupado por arquivos e sub-diretórios do diretório atual.

du [opções]

onde:

opções
-a, --all

Mostra o espaço ocupado por todos os arquivos.

-b, --bytes

Mostra o espaço ocupado em bytes.

-c, --total

Faz uma totalização de todo espaço listado.

-D

Não conta links simbólicos.

-h, --human

Mostra o espaço ocupado em formato legível por humanos (Kb, Mb) ao invés de usar blocos.

-H

Como o anterior mas usa 1000 e não 1024 como unidade de cálculo.

-k

Mostra o espaço ocupado em Kbytes.

-m

Mostra o espaço ocupado em Mbytes.

-S, --separate-dirs

Não calcula o espaço ocupado por sub-diretórios.

-x

Não faz a contagem de diretórios em sistemas de arquivos diferentes do atual.

Exemplo: du -h, du -hc.


10.6 find

Procura por arquivos/diretórios no disco. find pode procurar arquivos através de sua data de modificação, tamanho, etc através do uso de opções. find, ao contrário de outros programas, usa opções longas através de um "-".

find [diretório] [opções/expressão]

Onde:

diretório

Inicia a procura neste diretório, percorrendo seu sub-diretórios.

opções/expressão
-name [expressão]

Procura pelo nome [expressão] nos nomes de arquivos e diretórios processados.

-depth

Processa os sub-diretórios primeiro antes de processar os arquivos do diretório principal.

-maxdepth [num]

Faz a procura até [num] sub-diretórios dentro do diretório que está sendo pesquisado.

-mindepth [num]

Não faz nenhuma procura em diretórios menores que [num] níveis.

-mount, -xdev

Não faz a pesquisa em sistemas de arquivos diferentes daquele de onde o comando find foi executado.

-amin [num]

Procura por arquivos que foram acessados [num] minutos atrás. Caso for antecedido por "-", procura por arquivos que foram acessados entre [num] minutos atrás até agora.

-atime [num]

Procura por arquivos que foram acessados [num] dias atrás. Caso for antecedido por "-", procura por arquivos que foram acessados entre [num] dias atrás e a data atual.

-gid [num]

Procura por arquivos que possuam a identificação numérica do grupo igual a [num].

-group [nome]

Procura por arquivos que possuam a identificação de nome do grupo igual a [nome].

-uid [num]

Procura por arquivos que possuam a identificação numérica do utilizador igual a [num].

-user [nome]

Procura por arquivos que possuam a identificação de nome do utilizador igual a [nome].

-inum [num]

Procura por arquivos que estão localizados no inodo [num].

-links [num]

Procura por arquivos que possuem [num] links como referência.

-mmin [num]

Procura por arquivos que tiveram seu conteúdo modificado há [num] minutos. Caso for antecedido por "-", procura por arquivos que tiveram seu conteúdo modificado entre [num] minutos atrás até agora.

-mtime [num]

Procura por arquivos que tiveram seu conteúdo modificado há [num] dias. Caso for antecedido por "-", procura por arquivos que tiveram seu conteúdo modificado entre [num] dias atrás até agora.

-ctime [num]

Procura por arquivos que teve seu status modificado há [num] dias. Caso for antecedido por "-", procura por arquivos que tiveram seu conteúdo modificado entre [num] dias atrás até agora.

-nouser

Procura por arquivos que não correspondam a identificação do utilizador atual.

-nogroup

Procura por arquivos que não correspondam a identificação do grupo do utilizador atual.

-perm [modo]

Procura por arquivos que possuam os modos de permissão [modo]. Os [modo] de permissão pode ser numérico (octal) ou literal.

-used [num]

O arquivo foi acessado [num] vezes antes de ter seu status modificado.

-size [num]

Procura por arquivos que tiverem o tamanho [num]. [num] pode ser antecedido de "+" ou "-" para especificar um arquivo maior ou menor que [num]. A opção -size pode ser seguida de:

  • b - Especifica o tamanho em blocos de 512 bytes. É o padrão caso [num] não seja acompanhado de nenhuma letra.

  • c - Especifica o tamanho em bytes.

  • k - Especifica o tamanho em Kbytes.

-type [tipo]

Procura por arquivos do [tipo] especificado. Os seguintes tipos são aceitos:

  • b - bloco

  • c - caracter

  • d - diretório

  • p - pipe

  • f - arquivo regular

  • l - link simbólico

  • s - sockete

A maior parte dos argumentos numéricos podem ser precedidos por "+" ou "-". Para detalhes sobre outras opções e argumentos, consulte a página de manual.

Exemplo:

  • find / -name grep - Procura no diretório raíz e sub-diretórios um arquivo/diretório chamado grep.

  • find / -name grep -maxdepth 3 - Procura no diretório raíz e sub-diretórios até o 3o. nível, um arquivo/diretório chamado grep.

  • find . -size +1000k - Procura no diretório atual e sub-diretórios um arquivo com tamanho maior que 1000 kbytes (1Mbyte).

  • find / -mmin 10 - Procura no diretório raíz e sub-diretórios um arquivo que foi modificado há 10 minutos atrás.

  • find / -links 4 - Procura no diretório raíz e sub-diretórios, todos os arquivos que possuem 4 links como referência.


10.7 free

Mostra detalhes sobre a utilização da memória RAM do sistema.

free [opções]

Onde:

opções
-b

Mostra o resultado em bytes.

-k

Mostra o resultado em Kbytes.

-m

Mostra o resultado em Mbytes.

-o

Oculta a linha de buffers.

-t

Mostra uma linha contendo o total.

-s [num]

Mostra a utilização da memória a cada [num] segundos.

O free é uma interface ao arquivo /proc/meminfo.


10.8 grep

Procura por um texto dentro de um arquivo(s) ou no dispositivo de entrada padrão.

grep [expressão] [arquivo] [opções]

Onde:

expressão

palavra ou frase que será procurada no texto. Se tiver mais de 2 palavras você deve identifica-la com aspas "" caso contrário o grep assumirá que a segunda palavra é o arquivo!

arquivo

Arquivo onde será feita a procura.

opções
-A [número]

Mostra o [número] de linhas após a linha encontrada pelo grep.

-B [número]

Mostra o [número] de linhas antes da linha encontrada pelo grep.

-f [arquivo]

Especifica que o texto que será localizado, esta no arquivo [arquivo].

-h, --no-filename

Não mostra os nomes dos arquivos durante a procura.

-i, --ignore-case

Ignora diferença entre maiúsculas e minúsculas no texto procurado e arquivo.

-n, --line-number

Mostra o nome de cada linha encontrada pelo grep.

-U, --binary

Trata o arquivo que será procurado como binário.

Se não for especificado o nome de um arquivo ou se for usado um hífen "-", grep procurará a string no dispositivo de entrada padrão. O grep faz sua pesquisa em arquivos texto. Use o comando zgrep para pesquisar diretamente em arquivos compactados com gzip, os comandos e opções são as mesmas.

Exemplos: grep "capitulo" texto.txt, ps ax|grep inetd, grep "capitulo" texto.txt -A 2 -B 2.


10.9 head

Mostra as linhas iniciais de um arquivo texto.

head [opções]

Onde:

-c [numero]

Mostra o [numero] de bytes do inicio do arquivo.

-n [numero]

Mostra o [numero] de linhas do inicio do arquivo. Caso não for especificado, o head mostra as 10 primeiras linhas.

Exemplos: head teste.txt, head -n 20 teste.txt.


10.10 nl

Mostra o número de linhas junto com o conteúdo de um arquivo.

nl [opções] [arquivo]

Onde:

-f [opc]

Faz a filtragem de saída de acordo com [opc]:

a

Numera todas as linhas.

t

Não numera linhas vazias.

n

Numera linhas vazias.

texto

Numera somente linhas que contém o [texto].

-v [num]

Número inicial (o padrão é 1).

-i [num]

Número de linhas adicionadas a cada linha do arquivo (o padrão é 1).

Exemplos: nl /etc/passwd, nl -i 2 /etc/passwd.


10.11 more

Permite fazer a paginação de arquivos ou da entrada padrão. O comando more pode ser usado como comando para leitura de arquivos que ocupem mais de uma tela. Quando toda a tela é ocupada, o more efetua uma pausa e permite que você pressione Enter ou espaço para continuar avançando no arquivo sendo visualizado. Para sair do more pressione q.

more [arquivo]

Onde: arquivo É o arquivo que será paginado.

Para visualizar diretamente arquivos texto compactados pelo gzip .gz use o comando zmore.

Exemplos: more /etc/passwd, cat /etc/passwd|more.


10.12 less

Permite fazer a paginação de arquivos ou da entrada padrão. O comando less pode ser usado como comando para leitura de arquivos que ocupem mais de uma tela. Quando toda a tela é ocupada, o less efetua uma pausa (semelhante ao more) e permite que você pressione Seta para Cima e Seta para Baixo ou PgUP/PgDown para fazer o rolamento da página. Para sair do less pressione q.

less [arquivo]

Onde: arquivo É o arquivo que será paginado.

Para visualizar diretamente arquivos texto compactados pelo utilitário gzip (arquivos .gz), use o comando zless.

Exemplos: less /etc/passwd, cat /etc/passwd|less


10.13 sort

Organiza as linhas de um arquivo texto ou da entrada padrão. A organização é feita por linhas e as linhas são divididas em campos que é a ordem que as palavras aparecem na linha separadas por um delimitador (normalmente um espaço).

sort [opções] [arquivo]

Onde:

arquivo

É o nome do arquivo que será organizado. Caso não for especificado, será usado o dispositivo de entrada padrão (normalmente o teclado ou um "|").

opções
-b

Ignora linhas em branco.

-d

Somente usa letras, dígitos e espaços durante a organização.

-f

Ignora a diferença entre maiúsculas e minúsculas.

-r

Inverte o resultado da comparação.

-n

Caso estiver organizando um campo que contém números, os números serão organizados na ordem aritmética. Por exemplo, se você tiver um arquivo com os números

100
10
50

Usando a opção -n, o arquivo será organizado desta maneira:

10
50
100

Caso esta opção não for usada com o sort, ele organizará como uma listagem alfabética (que começam de a até z e do 0 até 9)

10
100
50
-c

Verifica se o arquivo já esta organizado. Caso não estiver, retorna a mensagem "disorder on arquivo".

-o arquivo

Grava a saída do comando sort no arquivo.

-m arquivo1 arquivo2

Combina o conteúdo de arquivo1 e arquivo2 gerando um único arquivo. Os dois arquivos precisam estar ordenados antes de se utilizar esta opção.

-i

Ignora os caracteres fora da faixa octal ASCII 040-0176 durante a organização.

-t caracter

Usa caracter como delimitador durante a organização de linhas. Por padrão é usado um espaço em branco como delimitador de caracteres.

+num1 -num2

Especifica qual o campo dentro na linha que será usado na organização. O(s) campo(s) usado(s) para organização estará entre +num1 e +num2. O delimitador padrão utilizado é um espaço em branco (use a opção -t para especificar outro). A contagem é iniciada em "0". Caso não for especificada, a organização é feita no primeiro campo. Caso -num2 não seja especificado, a organização será feita usando a coluna +num1 até o fim da linha.

-k num1, num2

Esta é uma alternativa ao método acima para especificar as chaves de organização. O uso é idêntico, mas o delimitador é iniciado em "1".

Abaixo, exemplos de uso do comando sort:

  • sort texto.txt - Organiza o arquivo texto.txt em ordem crescente.

  • sort texto.txt -r - Organiza o conteúdo do arquivo texto.txt em ordem decrescente.

  • cat texto.txt|sort - Faz a mesma coisa que o primeiro exemplo, só que neste caso a saída do comando cat é redirecionado a entrada padrão do comando sort.

  • sort -f texto.txt - Ignora diferenças entre letras maiúsculas e minúsculas durante a organização.

  • sort +1 -3 texto.txt - Organiza o arquivo texto.txt usando como referência a segunda até a quarta palavra (segundo ao quarto campo) que constam naquela linha.

  • sort -t : +2 -3 passwd - Organiza o arquivo passwd usando como referência a terceira até a quarta palavra (terceiro ao quarto campo). Note que a opção -t especifica o caracter ":" como delimitador de campos ao invés do espaço. Neste caso, o que estiver após ":" será considerado o próximo campo.


10.14 tail

Mostra as linhas finais de um arquivo texto.

tail [opções]

Onde:

-c [numero]

Mostra o [numero] de bytes do final do arquivo.

-n [numero]

Mostra o [numero] de linhas do final do arquivo.

Exemplos: tail teste.txt, tail -n 20 teste.txt.


10.15 time

Mede o tempo gasto para executar um processo (programa).

time [comando]

Onde: comando é o comando/programa que deseja medir o tempo gasto para ser concluído.

Exemplo: time ls, time find / -name crontab.


10.16 touch

Muda a data e hora que um arquivo foi criado. Também pode ser usado para criar arquivos vazios. Caso o touch seja usado com arquivos que não existam, por padrão ele criará estes arquivos.

touch [opções] [arquivos]

Onde:

arquivos

Arquivos que terão sua data/hora modificados.

opções
-t MMDDhhmm[ANO.segundos]

Usa Mês (MM), Dias (DD), Horas (hh), minutos (mm) e opcionalmente o ANO e segundos para modificação do(s) arquivos ao invés da data e hora atual.

-a, --time=atime

Faz o touch mudar somente a data e hora do acesso ao arquivo.

-c, --no-create

Não cria arquivos vazios, caso os arquivos não existam.

-m, --time=mtime

Faz o touch mudar somente a data e hora da modificação.

-r [arquivo]

Usa as horas no [arquivo] como referência ao invés da hora atual.

Exemplos:

  • touch teste - Cria o arquivo teste caso ele não existir.

  • touch -t 10011230 teste - Altera da data e hora do arquivo para 01/10 e 12:30.

  • touch -t 120112301999.30 teste - Altera da data, hora ano, e segundos do arquivo para 01/12/1999 e 12:30:30.

  • touch -t 12011200 * - Altera a data e hora do arquivo para 01/12 e 12:00.


10.17 uptime

Mostra o tempo de execução do sistema desde que o computador foi ligado.

uptime


10.18 dmesg

Mostra as mensagens de inicialização do kernel. São mostradas as mensagens da última inicialização do sistema.

dmesg|less


10.19 mesg

Permite ou não o recebimentos de requisições de talk de outros utilizadores.

mesg [y/n]

Onde: y permite que você receba "talks" de outros utilizadores.

Digite mesg para saber se você pode ou não receber "talks" de outros utilizadores. Caso a resposta seja "n" você poderá enviar um talk para alguém mas o seu sistema se recusará em receber talks de outras pessoas.

É interessante colocar o comando mesg y em seu arquivo de inicialização .bash_profile para permitir o recebimento de "talks" toda vez que entrar no sistema.

Para detalhes sobre como se comunicar com outros utilizadores, veja o comando talk, Seção 11.8.


10.20 echo

Mostra mensagens. Este comando é útil na construção de scripts para mostrar mensagens na tela para o utilizador acompanhar sua execução.

echo [mensagem]

A opção -n pode ser usada para que não ocorra o salto de linha após a mensagem ser mostrada.


10.21 su

Permite o utilizador mudar sua identidade para outro utilizador sem fazer o logout. Útil para executar um programa ou comando como root sem ter que abandonar a seção atual.

su [utilizador]

Onde: utilizador é o nome do utilizador que deseja usar para acessar o sistema. Se não digitado, é assumido o utilizador root.

Será pedida a senha do superutilizador para autenticação. Digite exit quando desejar retornar a identificação de utilizador anterior.


10.22 sync

Grava os dados do cache de disco na memória RAM para todos os discos rígidos e flexíveis do sistema. O cache um mecanismo de aceleração que permite que um arquivo seja armazenado na memória ao invés de ser imediatamente gravado no disco, quando o sistema estiver ocioso, o arquivo é gravado para o disco. O GNU/Linux procura utilizar toda memória RAM disponível para o cache de programas acelerando seu desempenho de leitura/gravação.

sync

O uso do sync é útil em disquetes quando gravamos um programa e precisamos que os dados sejam gravados imediatamente para retirar o disquete da unidade. Mas o método recomendado é especificar a opção sync durante a montagem da unidade de disquetes (para detalhes veja fstab, Seção 5.13.1.


10.23 uname

Retorna o nome e versão do kernel atual.

uname


10.24 reboot

Reinicia o computador.


10.25 shutdown

Desliga/reinicia o computador imediatamente ou após determinado tempo (programável) de forma segura. Todos os utilizadores do sistema são avisados que o computador será desligado . Este comando somente pode ser executado pelo utilizador root ou quando é usada a opção -a pelos utilizadores cadastrados no arquivo /etc/shutdown.allow que estejam logados no console virtual do sistema.

shutdown [opções] [hora] [mensagem]

hora

Momento que o computador será desligado. Você pode usar HH:MM para definir a hora e minuto, MM para definir minutos, +SS para definir após quantos segundos, ou now para imediatamente (equivalente a +0).

O shutdown criará o arquivo /etc/nologin para não permitir que novos utilizadores façam login no sistema (com excessão do root). Este arquivo é removido caso a execução do shutdown seja cancelada (opção -c) ou após o sistema ser reiniciado.

mensagem

Mensagem que será mostrada a todos os utilizadores alertando sobre o reinicio/desligamento do sistema.

opções
-h

Inicia o processo para desligamento do computador.

-r

Reinicia o sistema

-c

Cancela a execução do shutdown. Você pode acrescentar uma mensagem avisando aos utilizadores sobre o fato.

-a

Permite que os nomes de utilizadores contidos no arquivo /etc/shutdown.allow possam utilizar o shutdown para reinicializar/desligar o sistema. Deve ser colocado um nome de utilizador por linha. O limite máximo de utilizadores neste arquivo é de 32.

Este arquivo é útil quando o shutdown é usado para controlar o pressionamento das teclas CTRL+ALT+DEL no /etc/inittab.

-k

Simula o desligamento/reinicio do sistema, enviando mensagem aos utilizadores.

-f

Não executa a checagem do sistema de arquivos durante a inicialização do sistema. Este processo é feito gravando-se um arquivo /fastboot que é interpretado pelos scripts responsáveis pela execução do fsck durante a inicialização do sistema.

-F

Força a checagem do sistema de arquivos durante a inicialização. É gravado um arquivo chamado /forcefsck que é interpretado pelos scripts responsáveis pela execução do fsck durante a inicialização do sistema.

-n

Faz com que o shutdown ignore a execução do init fechando todos os processos.

-t [num]

Faz com que o shutdown envie um sinal de término aos processos e aguarde [num] segundos antes de enviar o sinal KILL.

O shutdown envia uma mensagem a todos os utilizadores do sistema alertando sobre o desligamento durante os 15 minutos restantes e assim permite que finalizem suas tarefas. Após isto, o shutdown muda o nível de execução através do comando init para 0 (desligamento), 1 (modo monoutilizador), 6 (reinicialização). É recomendado utilizar o símbolo "&" no final da linha de comando para que o shutdown seja executado em segundo plano.

Quando restarem apenas 5 minutos para o reinicio/desligamento do sistema, o programa login será desativado, impedindo a entrada de novos utilizadores no sistema.

O programa shutdown pode ser chamado pelo init através do pressionamento da combinação das teclas de reinicialização CTRL+ALT+DEL alterando-se o arquivo /etc/inittab. Isto permite que somente os utilizadores autorizados (ou o root) possam reinicializar o sistema.

Exemplos:

  • "shutdown -h now" - Desligar o computador imediatamente.

  • "shutdown -r now" - Reinicia o computador imediatamente.

  • "shutdown 19:00 A manutenção do servidor será iniciada às 19:00" - Faz o computador entrar em modo monoutilizador (init 1) às 19:00 enviando a mensagem A manutenção do servidor será iniciada às 19:00 a todos os utilizadores conectados ao sistema.

  • "shutdown -r 15:00 O sistema será reiniciado às 15:00 horas" - Faz o computador ser reiniciado (init 6) às 15:00 horas enviando a mensagem O sistema será reiniciado às 15:00 horas a todos os utilizadores conectados ao sistema.

  • shutdown -r 20 - Faz o sistema ser reiniciado após 20 minutos.

  • shutdown -c - Cancela a execução do shutdown.

  • shutdown -t 30 -r 20 - Reinicia o sistema após 20 minutos, espera 30 segundos após o sinal de término para enviar o sinal KILL a todos os programas abertos.


10.26 wc

Conta o número de palavras, bytes e linhas em um arquivo ou entrada padrão. Se as opções forem omitidas, o wc mostra a quantidade de linhas, palavras, e bytes.

wc [opções] [arquivo]

Onde:

arquivo

Arquivo que será verificado pelo comando wc.

opções
-c, --bytes

Mostra os bytes do arquivo.

-w, --words

Mostra a quantidade de palavras do arquivo.

-l, --lines

Mostra a quantidade de linhas do arquivo.

A ordem da listagem dos parâmetros é única, e modificando a posição das opções não modifica a ordem que os parâmetros são listados.

Exemplo:

  • wc /etc/passwd - Mostra a quantidade de linhas, palavras e letras (bytes) no arquivo /etc/passwd.

  • wc -w /etc/passwd - Mostra a quantidade de palavras.

  • wc -l /etc/passwd - Mostra a quantidade de linhas.

  • wc -l -w /etc/passwd - Mostra a quantidade de linhas e palavras no arquivo /etc/passwd.


10.27 seq

Imprime uma seqüência de números começando em [primeiro] e terminando em [último], utilizando [incremento] para avançar.

seq [opções] [primeiro] [incremento] [último]

Onde:

primeiro

Número inicial da seqüência.

incremento

Número utilizado para avançar na seqüência.

último

Número final da seqüência.

opções
-f, --format=[formato]

Formato de saída dos números da seqüência. Utilize o estilo do printf para ponto flutuante (valor padrão: %g).

-s, --separator=[string]

Usa [string] para separar a seqüência de números (valor padrão: \n).

-w, --equal-width

Insere zeros na frente dos números mantendo a seqüência alinhada.

Observações:

  • Se [primeiro] ou [incremento] forem omitidos, o valor padrão 1 será utilizado.

  • Os números recebidos são interpretados como números em ponto flutuante.

  • [incremento] deve ser positivo se [primeiro] for menor do que o último, e negativo caso contrário.

  • Quando utilizarmos a opção --format, o argumento deve ser exatamente %e, %f ou %g.

Exemplos: seq 0 2 10, seq -w 0 10, seq -f%f 0 10, seq -s", " 0 10


10.28 chattr

Modifica atributos de arquivos/diretórios. Não confunda atributos de arquivo com permissões de acesso (Permissões de acesso a arquivos e diretórios, Capítulo 13), os atributos são diferentes e definem outras características especiais para os arquivos/diretórios especificados.

chattr [opções] [atributos] [arquivos/diretórios]

Onde:

arquivos/diretórios

Arquivos/Diretórios que terão os atributos modificados. Podem ser usados curingas

opções
-R

Modifica atributos em subdiretórios

-V

Mostra detalhes sobre a modificação de atributos.

atributos

Os atributos de arquivos/diretórios podem ser especificados da seguinte maneira:

  • + - Adiciona o atributo

  • - - Remove o atributo

  • = - Define o atributo exatamente como especificado

Os atributos são os seguintes:

  • A - Não modifica a hora de acesso de arquivos. Poder aumentar consideravelmente a performance em Notebooks devido a diminuição de I/O no disco rígido. Quando especificada em diretórios, faz com que todos os arquivos e subdiretórios residentes nele não tenham a hora de acesso modificada.

    Este atributo funciona apenas em kernels 2.2 e superiores

  • a - Append-Only - Arquivos com este atributo podem somente ser gravados em modo incrementais (o conteúdo poderá somente ser adicionado ao final do arquivo). Eles não poderão ser removidos, renomeados e novos links não poderão ser criados para estes arquivos.

    Em diretórios faz com que os arquivos sejam apenas adicionados. Somente o root pode especificar ou retirar este atributo.

  • c - Permite compactação nos arquivos especificados de forma transparente para o utilizador. Durante a leitura, o kernel retorna dados descompactados e durante a gravação os dados são compactados e gravados no disco.

    Este atributo ainda não foi totalmente implementado no código atual do kernel.

  • d - Este atributo não é usado pelo kernel, mas faz com que o programa dump evitar backup dos arquivos marcados com este atributo.

  • i - Imutável - Arquivos imutáveis não podem ser modificados, os dados também não podem ser gravados para estes arquivos, não podem ser removidos, renomeados. Até mesmo o utilizador root não poderá modificar estes arquivos.

    Em diretórios, faz com que arquivos não possam ser adicionados ou apagados. Somente o utilizador root pode especificar ou retirar este atributo.

  • s - O arquivo especificado é marcado como "apagamento seguro"; quando o arquivo é apagado, seus blocos são zerados e gravados de volta no disco (eliminando qualquer possibilidade de recuperação).

  • S - Faz a gravação imediatamente para o arquivo especificado. É como especificar a opção "sync" na montagem do sistema de arquivos ext2, mas afeta somente os arquivos especificados. Não tem efeito em diretórios.

  • u - O arquivo especificado é marcado como recuperável. Quando o arquivo é apagado, seu conteúdo é salvo para permitir futura recuperação.

    Este atributo ainda não foi implementado totalmente no código atual do kernel.

Os atributos de arquivos/diretórios são visualizados através do utilitário lsattr. Existem patches para os kernels da série 2.2 que adicionam o suporte experimental aos atributos "c" e "u".

Exemplos:

  • chattr +AacdiSsu teste.txt - Adiciona todos os atributos

  • chattr =ASs teste.txt - Define os atributos para "ASs"

  • chattr +i -A teste.txt - Retira o atributo "A" e adiciona "i"

  • chattr = teste.txt - Retira todos os atributos


10.29 lsattr

Lista atributos de um arquivo/diretório. Os atributos podem ser modificados através do comando chattr.

lsattr [opções] [arquivos/diretórios]

Onde:

arquivos/diretórios

Arquivos/diretórios que deseja listar os atributos. Podem ser usados curingas.

opções
-a

Lista todos os arquivos, incluindo ocultos (iniciando com um ".").

-d

Lista os atributos de diretórios ao invés de listar os arquivos que ele contém.

-R

Faz a listagem em diretórios e subdiretórios.

-v

Mostra versões dos arquivos.

Caso seja especificado sem parâmetros, o lsattr listará os atributos de todos os arquivos e diretórios do diretório atual. O lsattr mostrará mensagens de erro caso seja usado em um diretório de pontos de montagem ou arquivos que não sejam ext2.

Exemplo: lsattr -d, lsattr -R, lsattr -R *.txt


10.30 cut

Mostra seções de cada linha do arquivo dependendo das opções passadas ao programa.

cut [opções] [arquivo]

Onde:

arquivo

Arquivo que será verificado pelo comando cut.

opções
-b, --bytes [bytes]

Mostra somente a lista de [bytes] do arquivo.

-c, --characters [numero]

Mostra somente o [número] de caracteres no arquivo. É semelhante a opção "-b" mas tabs e espaços são tratados como qualquer caracter.

-f, --field [campos]

Mostra somente a lista de [campos].

-d, --delimite [delimitador]

Para uso com a opção -f, os campos são separados pelo primeiro caracter em [delimitador] ao invés de tabulações.

-s

Para uso com a opção -f, somente mostra linhas que contém o caracter separador de campos.

Devem ser especificadas opções para o funcionamento deste comando. Os bytes, campos e delimitadores podem ser especificados através de intervalos de caracteres (usando a-z), através de vírgulas (a,b,d) ou da combinação entre eles.

  • cut -b 1,3 /etc/passwd - Pega a primeira e terceira letra (byte) de cada linha do arquivo /etc/passwd

  • cut -b 1,3-10 /etc/passwd - Pega a primeira letra (byte) e terceira a décima letra de cada linha do arquivo /etc/passwd.

  • cut -c 1,3-10 /etc/passwd - Pega o primeiro caracter e terceiro ao décimo caracter de cada linha do arquivo /etc/passwd.


10.31 cmp

Compara dois arquivos de qualquer tipo (binário ou texto). Os dois arquivos especificados serão comparado e caso exista diferença entre eles, é mostrado o número da linha e byte onde ocorreu a primeira diferença na saída padrão (tela) e o programa retorna o código de saída 1.

cmp [arquivo1] [arquivo2] [opções]

Opções:

arquivo1/arquivo2

Arquivos que serão comparados.

opções
-l

Mostra o número do byte (hexadecimal) e valores diferentes de bytes (octal) para cada diferença.

-s

Não mostra nenhuma diferença, só retorna o código de saída do programa.

Use o comando zcmp para comparar diretamente arquivos binários/texto compactados com gzip.

Exemplo: cmp teste.txt teste1.txt.


10.32 dirname

Obtém o nome do diretório através do caminho passado ao programa.

dirname [diretório/arquivo]

dirname /usr/bin/dirname, dirname /tmp/*.


10.33 diff

Compara dois arquivos e mostra as diferenças entre eles. O comando diff é usado somente para a comparação de arquivos em formato texto. As diferenças encontradas podem ser redirecionadas para um arquivo que poderá ser usado pelo comando patch para aplicar as alterações em um arquivo que não contém as diferenças. Isto é útil para grandes textos porque é possível copiar somente as modificações (geradas através do diff, que são muito pequenas) e aplicar no arquivo para atualiza-lo (através do patch) ao invés de copiar a nova versão. Este é um sistema de atualização muito usado na atualização dos código fonte do kernel do GNU/Linux.

diff [diretório1/arquivo1] [diretório2/arquivo2] [opções]

Opções:

diretório1/arquivo1 diretório2/arquivo2

Arquivos /diretórios que serão comparados. Normalmente é usado como primeiro arquivo/diretório o mais antigo e o mais novo como segundo.

opções
-lines [num]

Gera a diferença com [num] linhas de contexto. Por padrão o diff gera um arquivo com 2 linhas que é o mínimo necessário para o correto funcionamento do patch.

-a

Compara os dois arquivos como arquivos texto.

-b

Ignora espaços em branco como diferenças.

-B

Ignora linhas em branco inseridas ou apagadas nos arquivos.

-i

Ignora diferenças entre maiúsculas e minúsculas nos arquivos.

-H

Usa análise heurística para verificar os arquivos.

-N

Em uma comparação de diretórios, se o arquivo apenas existe em um diretório, trata-o como presente mas vazio no outro diretório.

-P

Em uma comparação de diretórios, se o arquivos apenas existe no segundo diretório, trata-o como presente mas vazio no primeiro diretório.

-q

Mostra somente se os dois arquivos possuem diferenças. Não mostra as diferenças entre eles.

-r

Compara diretórios e sub-diretórios existentes.

-S [nome]

Inicia a comparação de diretórios pelo arquivo [nome]. É útil quando cancelamos uma comparação.

-t

Aumenta a tabulação das diferenças encontradas.

-u

Usa o formato de comparação unificado.

Use o comando zdiff para comparar diretamente arquivos compactados pelo utilitário gzip

Use o comando sdiff para visualizar as linhas diferentes entre os dois arquivos em formato texto simples.

Exemplo:

  • diff texto.txt texto1.txt - Compara o arquivo texto.txt com texto1.txt e exibe suas diferenças na tela.

  • diff -Bu texto.txt texto1.txt - Compara o arquivo texto.txt com texto1.txt ignorando linhas em branco diferentes entre os dois arquivos e usando o formato unificado.

  • diff texto.txt texto1.txt >texto.diff - Compara o arquivo texto.txt com texto1.txt e gera um arquivo chamado texto.diff contendo a diferença entre eles. Este arquivo poderá ser usado pelo patch para aplicar as diferenças existente entre os dois no arquivo texto.txt.

  • diff -r /usr/src/linux-2.2.13 /usr/src/linux-2.2.14 >patch-2.2.14.diff - Compara o diretório e sub-diretórios linux-2.2.13 e linux-2.2.14 e grava as diferenças entre eles no arquivo patch-2.2.14.diff.


10.34 pr

Página arquivos texto ou a entrada padrão para impressão. Este comando faz a paginação de um arquivo texto e opcionalmente ajusta o número de colunas e mostra o resultado na saída padrão.

pr [opções] [arquivo]

Onde:

arquivo

Arquivo que será paginado para impressão.

opções
+[NUM]

Inicia a numeração de páginas na página [PAGINA]

-[NUM]

Mostra a saída com [NUM] colunas.

-c

Imprime o caracter CTRL como "^" na saída padrão.

-F, -f

Usa avanço de página ao invés de linhas em branco para separar páginas.

-e[caracter][tamanho]

Usa o caracter [caracter] como tabulação (o padrão é tab) e o espaço da tabulação [tamanho].

-h [nome]

Mostra [nome] ao invés do nome do arquivo no cabeçalho.

-l [num]

Define o número máximo de linhas por página para [num].

-m

Imprime vários arquivos em paralelo, um por coluna.

-r

Oculta mensagens de erro de abertura de arquivos.

-w [num]

Ajusta a largura da página para [num] colunas (o padrão é 72).

Exemplo: pr -l 50 -h "Teste do comando pr" teste.txt.


10.35 patch

Atualiza arquivos texto através das diferenças geradas pelo comando diff.

patch [opções] [arquivo.diff] ou patch [opções] < [arquivo.diff]

Onde:

arquivo.diff

Arquivo contendo as diferenças geradas pelo comando diff.

opções
-p [num]

Nível do diretório onde o patch será aplicado, se igual a 0, o patch assume que os arquivos que serão atualizados estão no diretório atual, se 1, assume que os arquivos que serão atualizado estão no diretório acima (..), se 2, 2 diretórios acima ...

-b

Cria cópias de segurança dos arquivos originais ao aplica o patch.

-binary

Lê e grava arquivo usando modo binário.

-d [dir]

Muda para o diretório [dir] antes de aplica o patch.

-E

Remove arquivos vazios após a aplicação do patch.

-n

Interpreta o arquivo de patch como um .diff normal.

-N

Não desfaz patches já aplicados.

-s

Não mostra mensagens de erro.

-u

Interpreta o patch em formato unificado.

As diferenças são aplicadas em arquivos originais gerados pelo comando diff. É importante entender os comandos patch e diff pois são comandos muito utilizados para desenvolvimento feito por equipes de pessoas.

Exemplo:

  • patch -p0<texto.diff - Aplica as diferenças contidas no arquivo texto.diff nos arquivos originais.

  • patch -p0 texto.txt texto.diff - Aplica as diferenças contidas no arquivo texto.diff nos arquivos originais. Faz a mesma coisa que o comando anterior.


10.36 whereis

Localiza o arquivo que contém uma página de manual. A pesquisa é feita usando-se os caminhos de páginas de manuais configuradas no sistema (normalmente o arquivo /etc/manpath.config).

whereis [comando]

Exemplo: whereis ls, whereis cd.


10.37 which

Mostra a localização de um arquivo executável no sistema. A pesquisa de arquivos executáveis é feita através do path do sistema. Para maiores detalhes, veja path, Seção 7.2.

which [comando]

Exemplos: which ls, which shutdown, which which.


10.38 zforce

Renomeia extensão de arquivos para .gz. Este comando é útil quando fazemos downloads de arquivos compactados pelo gzip mas que não estão identificados pela extensão .gz.

zforce [arquivos]

Quando é usado o zforce verifica se o arquivo é um arquivo compactado pelo gzip, caso seja, é verificado se já tem a extensão .gz, caso não tiver, acrescenta a extensão.


10.39 gzexe

Cria arquivos compactados gzip auto-extrácteis. Este comando é usado para compactar arquivos executáveis que se auto-descompactam assim que são solicitados. É útil para sistemas ou unidades de disco que possuem pouco espaço disponível. Este comando deve somente ser usado para arquivos executáveis.

gzexe [arquivo]

Onde: arquivo é o arquivo executável que será compactado.

Quando gzexe é executado, uma cópia do arquivo original é gravada com o formato nome_do_arquivo~.

Exemplo: gzexe /tmp/teste.


10.40 znew

Recompacta arquivos do formato compress (.Z) para o formato gzip (.gz). Após a re-compactação, os arquivos de origem .Z são apagados.

znew [opções] [arquivo]

Onde:

arquivo.Z

Arquivo compactado pelo compress que será re-compactado para o gzip.

opções
-f

Substitui o arquivo .gz caso já exista.

-t

Teste os novos arquivos criados antes de apagar os arquivos .Z.

-v

Mostra o nome e porcentagem de compactação para cada arquivo processado.

-9

Usa a máxima compactação.

-P

Usa pipes durante a conversão para reduzir o espaço ocupado no disco. A data e hora do arquivo não é mantida caso esta opção seja usada.

-K

Mantém o arquivo .Z caso seja menor que o arquivo .gz.


[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ 13 ] [ 14 ] [ 15 ] [ 16 ] [ 17 ] [ 18 ] [ 19 ] [ 20 ] [ 21 ] [ 22 ] [ 23 ] [ 24 ] [ 25 ] [ 26 ] [ 27 ] [ 28 ] [ 29 ] [ 30 ] [ 31 ] [ 32 ] [ próximo ]


Guia Foca GNU/Linux

Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007

Gleydson Mazioli da Silva gleydson@guiafoca.org